• Prêmio de boias práticas 2017
  • Novs sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Banner Recadastramento do Servidor

Desenvolvimento Urbano

12/06/2017 10:10

Governo do Estado dialoga sobre macrodrenagem do Rio Jaguaribe

Em reunião com a participação das secretarias estaduais do Meio Ambiente (Sema) e Casa Civil, representantes dos movimentos em defesa do Rio Jaguaribe conheceram o projeto de macrodrenagem do rio, que foi apresentado pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), e pelos integrantes do Consórcio Desenvolvimento Urbano de Jaguaribe. Eles esclareceram que não haverá tamponamento do rio e, em grande parte do trecho da orla, será preservada a vegetação característica das margens.

O encontro, na sexta-feira (9), foi intermediado pelo secretário Geraldo Reis, titular da Sema, que dará continuidade ao diálogo com os representantes da Associação dos Moradores de Jaguaribe (AMA Jaguaribe), o Grupo Ambientalista da Bahia, SOS Vale Encantado, Instituto de Arquitetos do Brasil - Bahia e Conselho de Entidades Socioambientais da Bahia. No próximo dia 20, será realizada uma nova reunião com o grupo, que conta com a colaboração dos engenheiros e pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Lafayette Luz e Severino Agra. Também participou do encontro, o deputado Afonso Florence.

O projeto apresentado tem o objetivo de reduzir os impactos das cheias e transbordamento dos rios Jaguaribe e Mangabeira e deve beneficiar os bairros de Piatã, Itapuã, Alto do Coqueirinho e Bairro da Paz. Conforme apresentou o coordenador do consórcio, Edu José Franco, não haverá tamponamento do rio.

As intervenções também preservam a vegetação das margens no trecho da orla e o leito permanece sem revestimento em grande parte do trecho mais largo do rio, porém com faixa de concreto nas laterais, mostrando uma “franja” aparente acima da linha da água, o que tem como propósito garantir o escoamento e evitar o assoreamento das bordas. As intervenções mais estruturais de canalização e urbanização das margens acontecem nos trechos a montante, onde a largura não permite a mesma solução. O projeto também prevê bacias de contenção.

Os representantes da sociedade civil irão analisar o projeto e apresentar críticas e sugestões no próximo encontro. O secretário Bruno Dauster, da Casa Civil, e o diretor de Obras Estruturantes da Conder, Sérgio Santos, sinalizaram com a abertura para incorporar ajustes ao projeto, contudo, dentro dos limites técnicos e administrativos viáveis.

Fonte: Ascom/Secretaria da Casa Civil
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.