CORREDORES TRANSVERSAIS – LINHA AZUL E VERMELHA:

A construção dos corredores transversais Linhas I e II entre os principais eixos viários da cidade, a BR-324 e a Av. Luís Viana Filho (Paralela), tem como objetivo proporcionar a ligação direta entre a região leste e oeste da cidade possibilitando a conexão viária entre a Orla Atlântica e a região do Subúrbio Ferroviário de Salvador favorecendo assim a mobilidade e acessibilidade no município e na RMS.

Os corredores transversais se constituem como obras estruturantes para a mobilidade urbana, sendo uma nova alternativa viária que permite a redução de tempo nos deslocamentos entre essas áreas, a redução de congestionamentos, e a melhoria das condições de acessibilidade para os moradores dos bairros do entorno. Os dois Corredores viários juntos tem 32 quilômetros de extensão, e somam um investimento de aproximadamente R$ 1,47 bilhão. A construção destas ligações foi dividida em etapas e envolvem diversas intervenções, que abrangem a construção de trechos completamente novos, duplicações de avenidas, pavimentação asfáltica, construção de viadutos, elevados, túneis, dentre outras. As obras se encontram em fase final de implantação com percentual acima de 90% de execução.

Sua concepção, tanto em relação ao trajeto como em relação à estrutura implantada, levou em consideração sua articulação estrutural com o sistema de transporte existente e planejado para Salvador e RMS. Deste modo, em suas extremidades, os corredores transversais articulam-se com o sistema metroviário – a Oeste com a Linha 1, onde também será implantada a nova Rodoviária do município de Salvador em Águas Claras; e a Leste com a Linha 2 do SMSLF (figura 2).  Ademais, a construção dos corredores já contempla a implantação de uma faixa exclusiva de tráfego para o funcionamento do sistema BRT (Bus Rapid Transit). Tais corredores criam assim conexões importantes não apenas para SSA, mas também para a RMS, articulando os sistemas de transporte de massa nas portas de entrada e saída da capital.

 

Figura 2 – Corredores transversais e suas conexões nas extremidades com SMSLF

 

Corredor Transversal I – Linha Azul – Avenida Gal Costa

A Linha Azul batizada de Avenida Gal Costa é um corredor viário transversal entre a BR-324 e Av. Paralela com extensão de 12 km, que Liga Patamares a Lobato, no Subúrbio Ferroviário. O corredor tem início na Avenida Pinto de Aguiar, (Orla Atlântica), passando pela Avenida Gal Costa, que foi duplicada, e pela nova ligação entre os bairros de Pirajá e Lobato. Esta linha caracteriza-se por ter pista dupla, com três faixas de tráfego em cada sentido, incluindo um corredor exclusivo para ser operado pelo sistema BRT.

Sua construção contou com um investimento total de R$ 647 milhões e seu funcionamento tem repercussão na melhoria da mobilidade e acessibilidade da cidade e, por conseguinte na melhoria da qualidade de vida dos habitantes, na medida em que reduz o tempo de deslocamento criando novos eixos e conexões na cidade.

Corredor Transversal II – Linha Vermelha – Avenida 29 de março

Este corredor, batizado como Avenida 29 de Março, possui no total, 20 quilômetros de extensão ligando Piatã (na orla Atlântica), a BR-324, trecho em Águas Claras, região onde está sendo construído o Tramo 3 do metrô e a nova rodoviária de Salvador. Esta ligação também facilitará a conexão da Rodoviária com a região leste da cidade.

O primeiro trecho da obra compreendeu a duplicação da Avenida Orlando Gomes até a Avenida Paralela (inaugurada em 2016), seguido pelo trecho que vai da Av. Paralela passando pela Estrada Velha do Aeroporto até a Via Regional (inaugurado em 2019). O terceiro trecho compreende a duplicação da Via Regional até o bairro de Águas Claras. A última fase de implantação é a ligação de Águas Claras à BR-324.  O custo envolvido na implantação desta linha é de cerca de R$ 581 milhões.

Figura 3 – Corredor Transversal II – Avenida 29 de março e sua articulação com o SMSLF