• Sei Bahia
  • RH Bahia
  • RH Bahia
  • Casa Nova
  • Prêmio Boas Práticas
SmartFAQ is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of InBox Solutions (http://www.inboxsolutions.net)

FAQ - Perguntas frequentes

1. Como se inscrever no programa Minha Casa Minha Vida
Para concorrer a empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida ou qualquer outro programa de habitação do Estado é necessário realizar o cadastro no site Casa da Gente. O cadastro é mecanismo necessário para que os beneficiários concorram a projetos habitacionais, como MCMV, visto que não poderá ser feita nenhuma chamada pública para os próximos empreendimentos habitacionais, sem que os beneficiários estejam com seus cadastros atualizados e enquadrados nos novos critérios. O cadastro na plataforma é o primeiro passo para quem está em busca da sonhada casa própria. Lembramos que a inscrição não garante o recebimento da moradia e deve ser feita através do site: http://www.casadagente.sedur.ba.gov.br/ . No site se encontra o passo-a-passo para participar.

2. Por que o meu empreendimento do Minha Casa Minha Vida ainda não foi entregue?
A entrega dos empreendimentos do Minha Casa Minha Vida dependem da demanda por parte do Ministério de Desenvolvimento Regional e da Caixa. O Governo do Estado não tem gerência sobre a definição de datas para entrega.

3. Por que a escolha pelo VLT e não metrô para substituir os trens do Subúrbio?
A escolha do modal se deu a partir de estudos realizados sobre viabilidade técnica, econômica e de demanda. o Governo do Estado entendeu que implantar um Veículo Leve de Transporte era a melhor opção pela vantagem econômica sendo definido como modal mais apropriado para substituir os atuais trens de Subúrbio. O modal terá 22 estações e 20 KM. Além disso, a  BYD é uma empresa de alta tecnologia dedicada à inovação para uma vida melhor. Gigante global especializada em energia limpa.  O VLT de Salvador-Simões Filho será movido à propulsão elétrica e com e com capacidade de transporte de no mínimo 600 (seiscentos) passageiros por composição. O período de conclusão é 24 meses após assinatura do contrato.
4. O que são as marcações quadrangulares no chão de alguns lugares da capital com as inscrições VLT acompanhadas de um número?
As marcações que vêm sendo realizadas nas redondezas do local de instituição do VLT, foram realizadas com o objetivo de criar pontos de orientação para a implantação do projeto.Estas marcações foram fixadas em pontos afastados da linha de implantação para que não fossem removidas durante o período de implantação das obras. No decorrer da evolução das obras as marcações serão transferidas para dentro da área de implantação do projeto.
5. Por que o metrô Salvador - Lauro de Freiras é de superfície em sua maior parte?
partir de estudos técnicos realizados, o Governo do Estado entendeu que implantar o metrô de superfície era a melhor opção pela vantagem econômica e porque se adequaria melhor ao tipo de solo de Salvador, além de respeitar os planos diretores da cidade e também o projeto inicial do metrô que era da Prefeitura Municipal de Salvador, onde já estava prevista a construção do modal não subterrâneo. Uma obra de metrô subterrâneo seria muito mais caro e demorado. No caso da região da Avenida Luiz Viana Filho (Av. Paralela), o canteiro central foi idealizado desde a sua construção nos anos 1960 e 1970, para um futuro transporte de massa, a exemplo do metrô. O traçado do metrô em sua maior parte é em superfície, tendo alguns trechos em elevado, como no caso das travessias das 2 lagoas artificiais do canteiro central da Avenida Paralela.
6. Como se dará a integração do VLT com o metrô?
A integração física do VLT Monotrilho com o sistema de metrô de Salvador se adequará à lógica de mobilidade do Governo do Estado, para viabilizar o funcionamento dos modais em um sistema de rede, através de serviços complementares. Essa será a segunda fase de implantação do VLT Monotrilho. O projeto prevê uma ligação com quatro estações entre a região de São Joaquim, passando pela Via Expressa e fazendo a integração com o sistema metroviário no Acesso Norte. Essa ligação deve se manter adjacente aos elevados da Via Expressa, já que o traçado do VLT, que é do tipo monotrilho elevado, se dará em cima da área de vias públicas.
7. As estações do metrô Salvador - Lauro de Freitas recebem pessoas com algum tipo de deficiência física?
Os Agentes de Atendimento e Segurança da CCR Metrô Bahia são preparados para conduzir pessoas com deficiência, inclusive cadeirantes, em escadas rolantes ou elevadores de todo Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. A concessionária ressalta ainda que todas as estações de metrô possuem elevadores e escadas rolantes de acesso.
8. Há expectativa para ampliar a Linha 2 em Lauro de Freitas?
A ampliação do metrô dentro de Lauro de Freitas está prevista em contrato, mas depende de um gatilho contratual de demanda, quando a estação Aeroporto atingir seis mil passageiros na hora de pico durante seis meses consecutivos. Uma vez atingida a meta, o Governo do Estado desenvolve um projeto e dá ordem de serviço para a construção da estação Lauro de Freitas.
9. Qual objetivo da obra de macrodrenagem no Rio Jaguaribe?
São três os objetivos principais da obra de macrodrenagem no Rio Jaguaribe, que é de responsabilidade da Sedur/Conder: o controle das cheias, evitando alagamentos; criar estrutura para ligação de esgotamento sanitário nas residências, evitando lançamento de esgotos no rio; e a remoção de cerca de 150 famílias de áreas de risco. As soluções foram escolhidas para causar o mínimo custo social, preservando as relações de vizinhança e moradia das comunidades ao evitar desapropriações desnecessárias. O problema de alagamento acontece ao longo de todo o rio Mangabeira e Jaguaribe. As intervenções também preservam a vegetação das margens no trecho da orla e o leito permanece sem revestimento em grande parte do trecho mais largo do rio, porém com faixa de concreto nas laterais, mostrando uma “franja” aparente acima da linha da água, o que tem como propósito garantir o escoamento e evitar o assoreamento das bordas. As intervenções mais estruturais de canalização e urbanização das margens acontecem nos trechos a montante, onde a largura não permite a mesma solução. O projeto foi defendido pelos moradores do km 17 e do Bairro da Paz (em audiência realizada em agosto de 2017). Informamos que a previsão para finalizar a obra é no segundo semestre de 2020.