A maior obra de mobilidade da história do Subúrbio, o VLT, irá contratar 2.249 pessoas para trabalhar durante as obras. Os interessados em uma das vagas de emprego da construção civil deve fazer o cadastro pela internet no site da Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) até 28 deste mês. São 48 funções que vão de pedreiro, carpinteiro, eletricista, montador de andaime, operador de empilhadeira, servente de obra, operador de guindaste dentre outras.

O processo seletivo deve transcorrer entre março e abril e as contratações em maio. O secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Nelson Pelegrino destaca o efeito em cadeia de uma obra grande. “O desenvolvimento de uma cidade gera oportunidades de emprego. É um novo horizonte para a população de Salvador, que tem pressa de chegar, que trabalha duro e em breve terá mais uma opção de transporte ágil, moderno e seguro”.

O Veículo Leve de Transporte (VLT) terá capacidade de transportar 172 mil pessoas de Ilha de São João, em Simões Filho, passando por todo o Subúrbio, até o Comércio, integrando a estação do metrô Acesso Norte. A implantação do VLT é uma obra do Governo do Estado gerenciada pela Sedur por meio de parceria público privada com a empresa Metrogreen Skyrail. “É um investimento de R$ 2,5 bilhões e que vai beneficiar 600 mil moradores da região”, declarou Pelegrino.

Movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente, o VLT do Subúrbio, fará da Calçada à Paripe em 25 minutos. Para ter uma noção da redução do tempo de viagem, o trem faz a mesma viagem de 40 a 50 minutos. A Fase 1 compreende 19,2 km, com 21 estações e vai ligar o bairro do Comércio, na Cidade Baixa da capital, até a Ilha de São João, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. Na fase 2, que liga a região de São Joaquim até o Acesso Norte (integração com o metrô) estão previstas mais 5 estações.